5 de dezembro de 2011

PASSEIO 1: A “FÁBRICA” DE MOAIS E A PRAIA DE ANAKENA

E continuo falando sobre a Ilha de Páscoa...

Fizemos o passeio ao Parque Nacional Rapa Nui (vulcão Rano Raraku) e à Praia de Anakena no dia seguinte à nossa chegada.  Com guia local, não esqueça disto!

Recomendo fortemente que se inicie por este passeio ao RANO RARAKU e, depois, se faça o outro a ORONGO, que também fica no Parque,  pois mantém a cronologia e facilita o entendimento da história.

Sofia e seus inseparáveis binóculos explorando o Rano Raraku


O Parque foi criado em 1935 e declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, em 2005. É considerado o maior museu ao ar livre do mundo.
Talvez por este motivo eu tenha achado a visita ao Museo Antropologico meio sem graça.

Por onde você anda na Ilha, encontra moais (são quase 900 espalhados!), mas, no Parque, está a maior concentração deles.




O mais legal era a Sofia fazendo perguntas para o Guia!

Ok que algumas eram tiradas de paralelo com o filme da Rapunzel, por exemplo, mas outras tinham por base o que ela tinha ouvido no Observatório, que visitamos semanas antes no Valle de Elqui, como esta da pedra aí embaixo. Sensacional!
A misteriosa pedra com poderes magnéticos...
 "Seria um meteorito?", perguntou o Guia.
Resposta da Sofia:
"Não! Meteorito é muito quente e não ia dar pra colocar a mão."
É isso aí, ponto para a pequena!!!

Vamos ao passeio!

A origem de tudo está aqui: a "fábrica" dos moais, o RANO RARAKU, vulcão em cujas bases, todos eram esculpidos e levados para o restante da Ilha.

De que forma levavam estas toneladas? Um mistério até hoje, mas teorias não faltam.

O maior moai da Ilha (deitado) não chegou a sair do Rano Raraku



Os moais são estátuas gigantescas de pedra vulcânica, feitas em homenagem aos antepassados: cada vez que morria alguém da família, se fazia um moai em sua homenagem.

Já os AHUS são altares com vários moais, sempre em número ímpar, para manter o equilíbrio da plataforma.
O maior AHU e Sofia conferindo se eram quinze moais mesmo...


Todos os moais olham para dentro da Ilha, zelando pelas pessoas que ficam. Já os sete primeiros exploradores polinésios,  que chegaram à Ilha no século IV,  olham para o mar. Eles estão representados no AHU AKIVI (fora do Parque, do outro lado da ilha).
O AHU AKIVI, dos Sete Exploradores, e nós, brincando de moai

No século XVII, houve uma grande guerra tribal, quando todos os moais foram derrubados. Os que estão de pé hoje são frutos de restauração arqueológica.

Terminada esta guerra, foi instaurada uma nova ordem, cuja história você conhece outro dia no passeio a Orongo, mais uma parte do Parque que também merece ser visitada com guia.

Moais derrubados

Depois do Parque, seguimos para a linda praia de Anakena (18 km do centro), com palmeiras, trazidas do Tahiti nos anos 60. Linda e também tem moais, claro!

A água é fria para nossos padrões brasileños, mas já é muito melhor do que Viña del Mar, por exemplo. O problema é o vento constante e frio em novembro.

Passaria feliz um dia inteiro de bobeira nesta praia se tivesse mais tempo...






Almoçamos muitíssimo bem em uma das barracas bem simples de lá: ceviche de atum sensacional! Sofia foi de empanada de queijo.

Aliás, depois, falo das comidas  (o atum é a estrela). Capítulo à parte, lo pasamos muy bien!!!

No próximo post, continuo nos passeios: ORONGO



INFORMAÇÕES ÚTEIS

INGRESSO PARA O PARQUE
Prepare-se, é bem caro!!!
Custa US$ 60. Você pode comprar por US$ 50 no aeroporto, mas tem que ser na hora em que chega, porque fica na área restrita do desembarque. Vale também para o passeio de Orongo (tem que guardar o ticket!). Boa notícia: Crianças não pagam!

GUIA LOCAL
Como já falei, fizemos nossos passeios com o Fernando, da KIMIMA’ARA TOUR e adoramos sua paixão e conhecimento rapa nui! Recomendo muito!
email kimimaaratour@gmail.com

tel.: 56 32 210 0059
cel.: 7875 6549

PREÇO PASSEIO PARQUE NACIONAL + PRAIA ANAKENA: $30.000 pesos por pessoa  - cerca de R$120, sem almoço e sem a entrada do Parque.  Vai de 10h às 17h.

De novo, os pequenos não pagam!

6 comentários:

  1. Adorei!! Quando voltar a morar no Brasil, minha primeira viagem com as crianças será para o Chile!
    Como está o espanhol da Sofia? Ela já entende e fala tudo?
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Que post, viagem e relato lindos. Adorei tudo e já alimento aqui uma enorme vontade de conhecer tudo pessoalmente. Mais uma dica de viagens acolhida com carinho.
    Valeu. Parabéns pela filhota que exibe um raciocínio lógico excelente. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Obrigada pelas visitas e pelo carinho!

    O Chile é mesmo sensacional e vale a viagem!
    Estamos no Sul agora, lindo demais!

    Sheyla,
    Sofia ficou fluente em menos de 3 meses, com sotaque e manias chilenas! Ficou na escola sozinha desde o primeiro dia. Um orgulho!

    Obrigada
    Cinthia

    ResponderExcluir
  4. Oieeeeeeee...

    Colocando a leitura do Chile com crianças em dia!

    A Ilha da Páscoa é mágica hein? A viagem do começo ao fim está belíssima.

    Beijos,

    ÉRika
    @blogoutrosares

    ResponderExcluir
  5. ola Cintia,

    estamos indo para ilha em junho,

    e pela conexão vamos passar a noite em santiago, na ida e na volta

    o que nos indicaria pra fazer por lah, algum lugar especial pra conhecer, uma balada ou sei lah, aproveitar esse tempo.

    e como fariamos esse deslocamento e se terial algum hostel perto do aeroporto

    grato



    Rodrigo
    rodrigolopesdesousa@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz, balada não é minha especialidade...
      O aeroporto fica bem afastado do centro da cidade.

      Excluir

Deixe seu comentário! Adoramos conhecer suas aventuras e perguntas também!